1,5 milhão de paranaenses vão poder sacar FGTS de contas inativas
27.01.2017

Um milhão e meio de paranaenses tem contas inativas do FGTS até 31 de dezembro de 2015 e o montante em recursos chega a R$1,3 bilhões, segundo estimativa do Instituto Fundo Devido ao Trabalhador. Os recursos poderão ser sacados por conta de uma medida provisória que entrou em vigor no final do ano passado. Um cronograma ainda deve ser definido pelo Presidente Michel Temer, no entanto, a expectativa é de que o dinheiro esteja disponível a partir do dia 13 de março até aproximadamente o mês de julho.

As contas inativas não recebem mais depósitos mensais porque não existe mais nenhum vínculo empregatício do trabalhador com a empresa. Na maioria dos casos são pessoas que pediram demissão, mas não puderam sacar os recursos. Pelo cálculo do Instituto, o saque médio por trabalhador deve ser de R$ 866 e em todo o País, o valor depositado nas contas inativas deve chegar a R$ 20,5 bilhões. O advogado Lucas Otsuka esclarece que o trabalhador não pode sacar o FGTS de uma conta ativa, ou seja, quando ainda ocorre o depósito pelo empregador atual, somente o montante correspondente a outros empregos. Existem circunstâncias específicas em que o contribuinte pode fazer o saque do benefício atual.

  O FGTS foi criado na década de 60 e funciona como uma indenização por tempo trabalhado em uma empresa. O valor depositado corresponde a 8% do total do salário para quem tem carteira assinada no regime CLT. Já para aprendizes o valor disponibilizado é de 2%. Para consultar o extrato do FGTS, o trabalhador pode entrar em contato com a Caixa Econômica Federal pelo telefone 0800-726-0207 ou no site: caixa.gov.br.
Compartilhe
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Outras publicações
Como se tornar um MEI (Microempreendedor Individual)
18.09.2017

Criado em julho de 2009, o Microempreendedor Individual (MEI) é considerado a porta de entrada para o mundo empresarial. É,…

Trabalho voluntário pode ser estratégico
14.09.2017

Até o ano passado, as ações sociais organizadas pela Johnson & Johnson no Brasil tinham um caráter somente filantrópico, mas…

Marlus Arns de Oliveira – Compliance 10
11.09.2017