10 dicas de como captar recursos no Terceiro Setor
09.03.2017

Um dos maiores desafios das organizações não governamentais é conseguir recursos para continuar ou ampliar seus projetos. Diante da difícil situação financeira no nosso país, tanto as pequenas instituições quanto as grandes estão com algumas dificuldades para arrecadar fundos.

Para apontar alguns caminhos, o Observatório preparou uma lista com 10 dicas de captação de recursos para que a sua ONG consiga crescer e contribuir com a sociedade e o Terceiro Setor.

  1. Planejamento

O primeiro passo para conseguir arrecadar dinheiro é ter um planejamento estratégico. Saber quanto dinheiro é necessário para a instituição funcionar durante um determinado período, ficar atento à contabilidade e construir uma estratégia de marketing e comunicação são exemplos de ações essenciais para uma boa gestão. Cada detalhe deve ser pensado e discutido entre os gestores da entidade, seja ela de pequeno, médio ou grande porte. A partir da análise da situação da ONG é que se inicia o processo de planejamento para a captação de recursos.

  1. Editais

Muitas empresas privadas, nacionais ou internacionais, negócios sociais e fundações estão sempre abrindo portas para financiar projetos que contribuam com a sociedade. Alguns editais são temáticos, selecionando projetos específicos. Esses temas variam muito de acordo com o objetivo da empresa responsável pelo financiamento, como por exemplo, direitos humanos, cultura e sustentabilidade. Em nosso site você encontra diversos editais e pode ver qual o melhor para inscrever um projeto da sua instituição. Os prêmios são quase sempre valores altos, e podem ser em outras moedas, como dólar e euro. (saiba mais sobre editais aqui).

  1. Eventos

Realizar um evento pode parecer mais gasto do que captação, mas não é bem assim. Qualquer ação da sua instituição pode virar uma apresentação para quem é voluntário e para quem deseja ser. Um show musical, apresentação de dança, feira gastronômica, projetos que envolvam os assistidos da organização são sempre bem-vindos ao terceiro setor. Para arrecadar fundos, pode ser feita a venda de convites e até mesmo a criação de bazares.

  1. Financiamento coletivo

As ferramentas de financiamento coletivo online, ou crowdfunding, têm ganhado cada vez mais força não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Existem diversos sites para esse tipo de captação, as taxas administrativas variam de um para o outro, mas continua sendo uma das melhores opções para captar recursos. A plataforma kickante é a maior nessa categoria aqui no Brasil, mas existem outras como vakinha, catarse e juntos.com.vc.

  1. Campanhas de doação

Para realizar uma boa campanha de doação, é necessário o planejamento de comunicação, aquele citado lá no primeiro tópico. Elementos como redes sociais, site e vídeo institucional demandam tempo e devem receber atenção quando se trata de campanha. Para se ter uma ideia, só no Facebook são mais de 1,5 bilhão de usuários, sendo quase 100 milhões só no Brasil. Aproveite a tecnologia que temos hoje e que avança mais a cada dia para usá-la a favor da imagem da sua instituição.

  1. Notas fiscais

A doação através das notas fiscais é um processo simples e que depende unicamente da decisão do consumidor. Porém, esse serviço só está disponível para as ONGs cadastradas nos programas Nota Fiscal Paulista e Nota Paraná.  Atualmente já existe um aplicativo onde o consumidor consegue fotografar a nota e fazer sua doação através de um aplicativo em seu smartphone.

  1. Doadores individuais

Invista na busca por doadores individuais, para que a ONG não dependa somente de auxílio do governo ou patrocínio de grandes organizações. Deve existir uma relação de amizade entre o doador e a entidade, pois não adianta ele doar apenas uma vez e depois deixar de lado. Aqui nós relembramos a importância de uma estratégia de marketing e comunicação, para manter a relação com o doador e conseguir divulgar a causa para conseguir mais doadores.

  1. Apoio de fundações e empresas

Muitas empresas privadas e fundações estão dispostas a investir em projetos sociais, não só em editais como no segundo tópico dessa lista, mas também como patrocinadores. Ao apresentar um projeto para um possível investidor é necessário que esteja bem escrito, bem planejado e que os gestores acreditem na causa que estão defendendo. A força argumentativa e o conhecimento do seu “produto” são essenciais.

  1. Facilidade no processo de doação

Ferramentas práticas que demandem menos tempo de quem tem interesse em fazer uma doação atraem mais pessoas. Sites com botão de doação e aplicativos para celular, por exemplo, são formas simples de doar. Ofereça esse tipo de opção para as pessoas que querem contribuir para a sua ONG.

  1. Diálogo direto na rua

Ás vezes parece chato ser abordado na rua por alguém que queira fazer uma pesquisa ou pedir doação. E pode ser difícil abordar várias pessoas na rua que estão na correria do dia a dia e muitas vezes passam reto por você. Mas esse método ainda possui eficácia. Para se ter uma ideia, pessoas que se tornam doadoras a partir do diálogo direto (também chamado de face-to-face) tendem a permanecer doando para a instituição por oito anos, em média, segundo o empreendedor social Michel Freller. Essa técnica é bastante usada por instituições grandes, como UNICEF e Greenpeace.

*Dica bônus: Seja transparente, preste contas

Um dos maiores motivos para muitas pessoas não doarem é a falta de confiança nas instituições. Para mostrar sua credibilidade, disponibilize planilhas e textos explicativos de prestação de contas em seu site, mostre para o doador onde o dinheiro dele está sendo aplicado. Isso faz total diferença para garantia de confiança e lealdade de quem fará uma doação.

 

Fonte: Observatório do Terceiro Setor

 

Compartilhe
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Outras publicações
Colaboração premiada é tema de aula especial na ABDCONST
26.09.2017

Professor, Doutor em Direito pela PUC-PR e advogado, conhecido pela sua atuação na Operação Lava Jato, Marlus Arns de Oliveira…

Advogados do escritório Arns de Oliveira & Andreazza oferecem capacitações sobre aspectos jurídicos no Projeto Legado
26.09.2017

Formalizar e manter uma organização social envolve uma série de trâmites legais e burocráticos. Neste mês, os empreendedores sociais que estão no…

A importância das cartas rogatórias no Direito Penal contemporâneo
26.09.2017

A intensa globalização e a difusão dos delitos transnacionais (crimes que violam o bem jurídico de dois países) fez com…